Fibra ótica, conectividade no campo

Internet no campo 05

Mobilização

Em 2013, a Fundação Fórmula Cultural, idealizadora desta Trip Rural, realizou a primeira coleta de quase 300 assinaturas no meio rural para pleitear maior conectividade no campo junto ao Poder Público.  Com a mobilização à época, mais portas foram disponibilizadas pelas operadoras para a expansão de serviço de telefonia e banda larga.

Com sede à Estrada Municipal José Alves Vieira, 125, no bairro rural do Mandu, distante 9 km do centro do município de Pindamonhangaba, saímos mais uma vez nesta frente de trabalho.

Corona Crise

Prejudicados com o intenso consumo de banda larga em função da pandemia, o intenso consumo de banda larga por trabalhadores em home office, estudantes no ensino a distância, o aumento das compras e pagamentos on-line, uso das redes sociais para entretenimento e a vulnerabilidade da área rural em termos de segurança que fez aumentar o furto de fios de cobre...a área rural se viu, mais uma vez comprometida!

Pesquisa e objetivo

E pela segunda vez, agora reunidos também  no coletivo AMAVAP, esta pesquisa tem o objetivo de incluir cidades do entorno e bairros novos para registrar o potencial de consumo e interesse de moradores, trabalhadores, propriedades rurais, estabelecimentos comerciais, prestadores de serviço e empresas do turismo rural e agronegócio no acesso à conectividade no campo, além de somar a melhoria da qualidade do serviço pós pandemia. Tem o objetivo de ilustrar as conexões que nossa área rural fazem com as cidades vizinhas de Tremembé, Taubaté, Santo Antonio do Pinhal, Monteiro, Lagoinha e outras do entorno que também buscam pelos mesmos serviços.

Investimentos em infraestrutura

Os dados serão mantidos em sigilo e terão o único destino, os gestores municipais e/ou empresas investidoras para estudos de potencial de consumo, viabilidade e planejamento de programa de expansão e implantação da fibra ótica e outras tecnologias que a mesma não possa alcançar.

Dedique alguns minutos para a pesquisa abaixo e replique entre sua vizinhança para engrossar o pleito por mais atenção à infraestrutura de sua região.

Confira notícia sobre os esforços em políticas públicas para o meio rural no quesito "Conectividade"

PROJETO DE LEI Nº 4061, DE 2019 – A FONTE DE RECURSOS PARA A CONECTIVIDADE NO CAMPO

É amplamente conhecida a dificuldade, ou mesmo impossibilidade, de aplicar os recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) em programas, projetos ou atividades focadas em internet banda larga. Atualmente, a utilização do fundo está vinculada à universalização do obsoleto Serviço de Telefonia Fixa Comutada (STFC), prestado em regime público.

O FUST conta com uma arrecadação de R$ 21,6 bilhões desde sua criação, tendo sido utilizado apenas R$ 503,1 milhões (cálculo atualizado até janeiro/2019).

Para destravar o FUST e alavancar os investimentos em internet banda larga, tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei nº 4061, de 2019, que altera o marco legal vigente (LEI Nº 9.472/1997 – TELES, e Lei nº 9.998/2000 – FUST), possibilitando utilização dos recursos do fundo para políticas públicas de telecomunicação.

Com a mudança, os recursos poderão, entre outras finalidades, financiar a instalação de tecnologia de distribuição de banda larga para a conectividade no campo, permitindo a implementação de tecnologias e maquinário (agricultura 4.0) que proporcionarão ainda mais produtividade e eficiência à agricultura brasileira.

Fonte: Frente Parlamentar da Agropecuária

5 opiniões sobre “Fibra ótica, conectividade no campo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.